Entrevistas

Eng. Civil MSc Francisco José T. C. Ladaga

ENTREVISTA

QUAL A SUA EXPECTATIVA EM RELAÇÃO AO CBENC?

Estamos no 25º Congresso Brasileiro de Engenharia Civil, que, ano a ano, vem trazendo inovações na sua formatação.

Este congresso foi todo idealizado para que, além da informação e valorização profissional feita através de palestras de suma importância, propicie debates sobre as atribuições do Engenheiro Civil.

Há pouco tempo houve entre as modalidades do Sistema Confea /Crea uma falta de civilidade no sentido pleno da palavra, e isto trouxe muitos transtornos e sofrimento para os engenheiros civis, especialmente de Santa Catarina.

A reclamação geral era contra o Sistema Confea /Crea.

A ABENC, através deste evento, está oportunizando aos profissionais de Santa Catarina a oportunidade de conversar e expor aos Conselheiros Federais representantes da Engenharia Civil, do Conselheiro Federal do Estado de Santa Catarina, dos presidentes de Creas que são Eng. Civis, os problemas que ocorrem ou ocorreram na questão de atribuição profissional de Eng. Civil.

O Confea, através do seu Presidente e do plenário de forma ampla e democrática, se dispôs a estar presente no evento.

Como o problema não é somente local, todos os Estados brasileiros encaminharam profissionais da Eng. Civil para que, de forma solidária, trabalhem na busca de soluções. Hoje temos em torno de 150 profissionais de outros Estados já inscritos no evento.

É esta a oportunidade dos profissionais Engenheiros Civis colocarem suas agruras pela insegurança surgida há pouco tempo quanto às suas atribuições profissionais

Para isso o Congresso, pela primeira vez, abrirá para debates, prevendo para isso, mais de uma hora na programação, com a presença de Conselheiros Federais buscando sanar dúvidas ou elencando problemas que possam ser estudados e solucionados pelo Conselho Federal que é o órgão competente para isso.

Outro assunto importante a ser debatido é o ensino, de forma ampla, para a formação do engenheiro civil.

Enfim, a expectativa é que os problemas surgidos possam ser totalmente dizimados com a contribuição dos profissionais de Santa Catarina e dos demais Estados presentes.

 

COMO O TEMA DE SUA PALESTRA CONTRIBUI PARA O CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ENGENHARIA CIVIL?

Apesar do estatuto da ABENC prever que seus objetivos são a defesa e valorização profissional do engenheiro civil, a administração atual, preocupada com a sociedade, vem colocar um problema que foi levantado em 2006 pela confederação Nacional da Indústria – CNI em seu documento denominado Inova Engenharia  – Proposta para a Modernização da Educação em Engenharia no Brasil, onde afirma que o crescimento econômico, entre outros, depende essencialmente de educação de qualidade.

Não será possível alcançar o acelerado desenvolvimento almejado sem construir um sistema de educação fundamental e básica que seja, simultaneamente, universalizado e de boa qualidade.

As deficiências qualitativas e quantitativas do ensino superior brasileiro são quase todas decorrentes dos níveis precedentes de formação.

Estas colocações foram feitas há 13 anos, e precisamos, como pr,ofissionais com ensino superior, colaborar neste momento que se busca um novo Brasil e assim, retomar este assunto deflagrado pela CNI que nos parece ainda ser o cenário atual.

Precisamos neste momento e sempre de Progresso e esse passa, obrigatoriamente, pela atuação da Engenharia. Não precisamos para isso de volumes intermináveis de engenheiros e sim de engenheiros capazes e competentes para o desenvolvimento de novas tecnologias.

 

OUTRAS CONSIDERAÇÕES

A Engenharia Civil através das suas entidades organizadas entendem e querem participar de Políticas sérias que venham contribuir com o Desenvolvimento do País e, por consequência, com as melhorias de vida do povo Brasileiro.

Palestra 10 - Ensino na Engenharia Civil, formação presencial/EAD e o mercado de trabalho.

09/08/2019 (Sexta-feira) - 13:30 - 14:30